2012-06-24

S. João da Cruz - n. 24/06/1542

Chama de Amor Viva

Canções da alma
na íntima comunicação de união de amor de Deus.

Oh chama de amor viva,
que ternamente feres
da minha alma o mais profundo ponto!,
já que não és esquiva,
acaba já, se queres;
rasga o tecido deste suave encontro.

Oh cautério suave!
Oh deleitosa chaga!
Oh toque delicioso! Oh mão querida,
que à vida eterna sabe,
toda a dívida paga!,
matando, a morte transformaste em vida.

Oh lâmpadas de fogo,
em cujos resplendores
as profundas cavernas do sentido,
escuro e cego, logo
com estranhos primores
calor e luz dão junto ao seu querido!

Quão manso e amoroso
acordas em meu seio,
onde em segredo, solitário, moras;
e em teu aspirar gostoso,
de bem e glória cheio,
quão delicadamente me enamoras!


S. João da Cruz

2 comentários:

  1. "Um fogo que acende outros fogos

    43.- Uma espiritualidade sã

    Reflexão pessoal escrita em novembro de 1947..." por
    San Alberto Hurtado

    Conheces Maria? Se não , o link aqui vai:

    http://www.padrealbertohurtado.cl/portuguese/index.php?pp=legado&qq=publicaciones&rr=publ_01_43

    Sem querer ensinar O Pai Nosso ao vigário rs, me despeço!

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. é oportuno, sim. Ainda há dias estive a ver um vídeo de uma pessoa consagrada que foi convidado para ir a um programa de televisão e dei por mim a pensar:"mas isto não é nada! Este Cristo não existiu nem existe. Um Cristo completamente abstracto, que não é sinal de vida para ninguém" Por isso as vocações de consagração estão como estão.

    É obvio que as nossas vidas estão muito cheias de coisas e o viver à superfície é o que mais facilmente nos move. Mas também deve ser verdade que o homem tem de encontrar na vida, hoje, o espaço para a espiritualidade. E as religiões perceberem isso.

    ResponderEliminar