2012-08-29

diário da alma #6



(Dornes, Agosto 2012)


- Construímos a casa em pedra com porta e janela viradas a sul
rasgámos poços regámos
plantámos árvores que mais tarde derramariam misteriosas raízes de ébano e de açúcar
até onde as águas se ramificam formando imperturbáveis rios subterrâneos
fabricámos os instrumentos rudes de muitos trabalhos
rodeámo-nos de animais e aprendemos a falar-lhes

- No horizonte da casa o rio as dunas o mar
as águas no instante em que não pertencem ao rio
nem pertencem ao mar
em redor avistávamos árduas planícies terras lavradas
crepúsculos imensos deitados sobre as searas
mas apesar de tudo
desenvolvia-se a partir do coração o inocente desejo de fugir

Al Berto
"Apresentação da noite"
Assírio & Alvim

4 comentários:

  1. é, viver é também isso.

    a procura da insatisfação.

    beijinhos Maria C.

    ResponderEliminar
  2. ou a insatisfação que gera a procura? :)

    Beijinhos, Luís.

    ResponderEliminar