2012-09-22

os tempos que vivemos

(Lisboa 15/09/2012)


Não disse quase nada da manifestação (ou das manifestações) do passado 15 de Setembro, na qual que fiz o meu "baptismo", com mais cinco familiares. Todos neófitos. Um deles, dizia no final, que tinha sentido maior expressão de cidadania nesta participação, do que no acto de votar. Eu, como nasci antes de 1974, tenho por muito caro o direito ao exercício do voto, livremente expresso.
E se o slogan/convocatória era "que se lixe a troika ... queremos as nossas vidas", foi por demais evidente que eram diferentes as motivações de participação.
E é dessas motivações e das diferentes questões que se levantam, que não nos permite descansarmos placidamente...o meu querido amigo João Tunes, que depois de longo interregno bloguístico, volta ao nosso convívio, diz o essencial:


É este caminhar já feito (sim, o muito que andámos para se chegar ao 15 Set) que nos dá um pó de esperança sobre o que o futuro nos reserva enquanto povo que se redescobre e grita quando acorda. Sabendo-se que o futuro não passa de um permanente recomeçar sempre num ponto diferente. Para onde? Até onde? Caminhemos para saber.

Sem comentários:

Enviar um comentário