2012-09-07


"Para onde agora, oh despido de sombra, para onde?"  (Paul Celan)

Um fio, um fino fio como um dos seus cabelos brancos, é o que a prende à vida.
Ainda lê os jornais e recebe visitas, mas o seu mundo vai do quarto à sala de refeições. Já não lhe reconheci a sageza, nem a alegria vivaz. Reconheci-a apenas na teimosia:  a  derradeira urgência da sua vida era mostrar-me o DVD da festa. Fez várias tentativas, mas o equipamento não colaborava. Ajudei, e vimos o pequeno filme. Entrecortado com manifestações de desagrado por lhe terem "aberto" a cama. Quem o faz é ela, sempre a seguir ao jantar. Mas iria informar-se sobre quem tinha tido o "desplante".

Sem comentários:

Enviar um comentário