2012-11-21

de promessas


“Quando o imperador se diviniza e reivindica qualidades divinas, a política ultrapassa os próprios limites e promete aquilo que não pode cumprir”. São palavras do Papa, no novo livro sobre Jesus. Não será difícil que as mesmas acolham simpatia, ao serem lidas e difundidas. Pergunto-me é se, nelas, está implícito algum exame de consciência em relação ao poder papal - nas vertentes do poder temporal e espiritual.

2 comentários:

  1. pois...

    e esse é mesmo divino. :)

    beijinhos Maria C.

    ResponderEliminar
  2. será? mais do que qualquer outro? parece que não.


    Beijinhos, Luís.

    ResponderEliminar