2013-03-31

a vida que somos





Para a maior parte de nós, o bem que mais preservamos é a vida. E olhamos para a morte como o acontecimento que se lhe opõe. Não é inevitável que assim aconteça. Podemos olhar a morte e a vida noutra perspectiva:

A nossa identidade última não é um "eu" que tem vida. Não, somos vida que se expressa transitoriamente, na forma concreta de um "eu". Cada um de nós pode dizer: eu sou vida. Sabendo que o sujeito (eu) dessa frase não é o indivíduo particular, antes o "EU SOU" universal da única vida que se expressa em infinitas formas.

Mas para chegarmos a esta compreensão da vida teremos de mudar alguns esquemas de pensamento a que estamos habituados, onde nos sentimos confortáveis, mas nem por isso satisfeitos:

Realmente, só podemos saber o que é a Vida quando a somos de modo consciente...É então, ao sê-lo, que experimentamos que somos vida. E que há uma única Vida que vive em nós. 



ler o texto completo aqui 




Sem comentários:

Enviar um comentário