2013-03-22




Grassa por aí o escândalo, por o papa Francisco dizer que quer uma Igreja pobre para os pobres. Não vejo qual é o espanto. Nunca vi governante que dissesse que ia tratar de que os ricos se governassem. Não é que as coisas não acabem por se passar assim, mas não é assim que se ganham eleições.
Na Igreja, quase dois mil anos de história e tradição, fazem esquecer - demasiadas vezes - a pessoa que a fundamenta e é razão de existência: Jesus. A opção pelos pobres, não é uma mania dos "Franciscos", é um mandato evangélico.


Sem comentários:

Enviar um comentário