2013-04-14

não faltam profetas





Há quem diga, com propriedade, que o legado de Jesus não foi um novo grupo religioso, mas uma forma nova de viver. E se lermos os evangelhos com uma visão despojada de toda a dogmática, com que vinte séculos de cristianismo os cobriram, honestamente, concordaremos.

E tantas vezes se diz que é impossível viver do mesmo modo que Jesus viveu, tornando, desse modo, a proposta cristã como um ideal de perfeição, inacessível aos homens contemporâneos. Desculpas de quem não ousa, nem está sensível à leitura dos "sinais dos tempos".

Mas há quem resista. José Ignácio González Faus, nos seus oitenta anos, deixa-nos um testamento lúcido e radical:


Não nos podemos queixar da falta de profetas!


Sem comentários:

Enviar um comentário