2013-04-10



Reina uma atmosfera especial no Vaticano. [...] Muitos acreditam que essa questão da reforma da cúria começará “antes do verão”.

Mas a ousadia das declarações mordazes do padre Cantalamessa, pregador oficial da Casa Pontifícia, na Sexta-Feira Santa, na Basílica de São Pedro, diante do Papa e de toda a Cúria Romana, não tranquilizaram.
Citando Kafka, exortou a Igreja a não se tornar um “castelo complicado”. Afirmou que “o excesso de burocracia, os resíduos de cerimoniais, leis e controvérsias passadas” – os “impedimentos que podem reter o mensageiro” – tornaram-se “agora apenas detritos”. E que “é chegado o momento” em que precisa haver “a coragem de abater” os “muros divisórios de salas e quartos pequenos” para “restaurar ao edifício a simplicidade e a linearidade de suas origens”. A sua conclusão atingiu como um raio: “Foi a missão que recebeu um dia um homem que orava ante o crucifixo de São Damião, em Assis: ‘Vá, Francisco, e repara a minha Igreja’.”  Para bom entendedor…

ler aqui


Li há relativamente pouco tempo "O Castelo" de Kafka. Está, portanto, bem vivo na memória. E sorri quando li esta citação (que não conhecia) do padre Cantalamessa. Não podia ter sido mais incisivo. Aguardemos...


 

2 comentários:

  1. Aguardemos, mas é avisado comprar uma cadeira confortável e ter por perto livros interessantes para lermos até o fim da nossa vida!
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. a minha coluna manda dizer que agradece a tua sugestão, Lino. :)

    Beijos

    ResponderEliminar