2013-06-01



É frequentemente apontada a falta de alegria dos cristãos. Ainda há pouco o papa, numa das suas homilias, recomendava que os cristãos "não vivessem com cara de cortejo fúnebre". Mas uma alegria para ser contagiante tem de vir de "dentro", não bastam sorrisos amarelos.
Mas como será possível soltar essa alegria quando de teima enfaticamente nesta mensagem:"Os cristãos crêem que a culpa da crucificação pertence a todos os homens. Todos os homens que já existiram e todos os homens que estão por existir são culpados da morte de Cristo. É um assassínio de um homem apenas cometido por milhões e milhõesde homens."Quem vive com uma culpa imposta, que racionalmente nem entende, pode alguma vez expressar alegria e contentamento, por mais que lhe digam que é assim que deve viver?

4 comentários:

  1. “Ainda há pouco o papa, numa das suas homilias, recomendava que os cristãos "não vivessem com cara de cortejo fúnebre".

    E a igreja, as hierarquias ao longo do tempo não terão contribuido para isso? Bom, ja o Humberto Eco abordou o tema do riso e da alegria na religião num célebre romance, também passado a filme. Há teorias da idade média a respeito dos padres da igreja gregos e difundida no ocidente latino condenando o riso. Para o pensamento platónico o riso afasta o homem da verdadeira sabedoria, la diz o povo muito riso pouco siso. Na teologia medieval, o riso é reconhecido como sendo próprio do homem, mas geralmente censurado com o argumento de que jesus não tera rido na sua vida terrena, na outra então nem se fala. Os judeus por exemplo e o seu humor zomba de todos até de deus. Mas cá pelo nosso burgo um preservativo numa revista de jornal e um programa de humor do herman foi o fim do mundo. A religião é muito séria digo eu.

    ResponderEliminar
  2. "Mas cá pelo nosso burgo um preservativo numa revista de jornal e um programa de humor do herman foi o fim do mundo."

    Não me parece que devamos assacar culpas exclusivamente à religião...veja quais são as prioridades, ainda hoje, dos governos. Não é a cultura e artes em geral, o que é sempre considerado um luxo e o primeiro lugar onde cortar nos orçamentos...e a educação etc. nem tudo é culpa da religião.

    "A religião é muito séria digo eu."

    algumas pessoas vivem (um dos posts de hoje reflecte isso, não o riso, mas o desejo...)a fé e a vida sem capacidade de humor e de riso.

    "

    ResponderEliminar
  3. “Não me parece que devamos assacar culpas exclusivamente à religião...veja quais são as prioridades, ainda hoje, dos governos”

    Eu não me estava a focar nessas prioridades, mas em alguns temas vindos de quem não tem poder de decisão nem de governo e brinca com a religião como os casos que citei e que geram indignação entre as pessoas religiosas.

    Por exemplo este pequeno video que me enviaram ha anos por mail, para muita gente religiosa é ofensivo, mas para mim simplesmente.... sobreviveu, depois de um sorriso.

    http://www.youtube.com/watch?v=MMZUFBIWlag


    Claro que os religião crista no meio deste universo de religiões até não é das mais intolerantes, já foi no passado, mas se formos para outras religiões brincar com certos aspectos religiosos corremos perigo de vida.

    ResponderEliminar