2013-06-18

(Pope Francis attends the opening of the Pastoral Convention of the Diocese of Rome at the Vatican, June 17, 2013.
REUTERS/Stefano Rellandini)


O que me cativa nesta foto recente (de ontem mesmo) do Papa Francisco, é o contraste da pessoa que todos os dias é notícia pelo que vai verbalizando e que aqui é retratado numa imagem de abandono. Uma imagem que interpela tanto ou mais que as tais palavras todos os dias proferidas.



3 comentários:

  1. A mim lembra simplesmente uma outra face do poder, a solidão do poder. Muitas vezes não importa se se tem uma, duas, dezenas, centenas, milhares ou milhoes de pessoas sob o nosso poder de decisão ou comando, muitas vezes a pessoa ve-se sozinha com as suas decisões, como se tivesse o peso do mundo sob as suas costas.

    ResponderEliminar
  2. acabei de publicar um link para um artigo de José Maria Castillo (teólogo espanhol)onde expõe as suas opiniões sobre o poder na igreja. e não vai nada bem...

    ResponderEliminar
  3. "José Maria Castillo (teólogo espanhol)onde expõe as suas opiniões sobre o poder na igreja. e não vai nada bem"

    Não me interessa como vai ou como não vai o poder na igreja, a partir da separação do estado e da perda da sua influencia na vida das pessoas a não ser por opção destas é me indiferente, a não ser que esse poder tente fazer renascer antigas alianças de poder para condicionar as sociedades.

    Mas acredito que sim, segundo consta, e saiu "informalmente" o papa queixou-se de influencias nefastas para o vaticano derivadas do vaticanoleaks e de um lobby gay.

    ResponderEliminar