2013-08-21

o que Deus diz



As coisas são como são. E uma resposta dada por Bento XVI, mesmo na intimidade do retiro em que vive,  acaba a ser difundida por diferentes meios de comunicação, a uma escala que ultrapassa os  meios da própria Igreja, sendo comentada por crentes e não crentes.

À pergunta:"Porque decidiu deixar o papado?" Parece que respondeu:"Foi Deus que me disse".

Qualquer crente esclarecido, ou pessoa de boa vontade, não precisa de mais explicações para saber o que o papa está a dizer. Se não souber, minimamente, o significado da confidência do papa, acaba, por exemplo, a escrever artigos como este.


Seduziste-me, SENHOR, e eu me deixei seduzir! Tu me dominaste e venceste. Sou objecto de contínua irrisão, e todos escarnecem de mim.[Jr 20,7] Assim escreve Jeremias, um profeta que nasceu 650 A.C.
O profeta não diz que é dominado por Deus e que deixou de ter vontade própria, diz, antes, que quer conformar a sua vontade àquilo que Deus quer para ele.
O mesmo quereria dizer o papa. Nas circunstâncias, decidiu em conformidade com o que era melhor para si próprio e para a Igreja. E não há qualquer contradição entre as razões primeiras que apontou e esta confidência que deveria ter ficado entre as pessoas que nela intervieram.




Sem comentários:

Enviar um comentário