2013-10-19

a vida que interpela



ontem participei na exéquias de uma jovem mulher que morreu de cancro na mama. na liturgia católica, as belíssimas leituras, o canto, os momentos de silêncio, foram ofuscados pelo jovem padre que resolveu coagir os presentes lembrando que "amanhã" estariam eles ali (num caixão). momento verdadeiramente redentor, foi quando a irmã da falecida se dirigiu aos presentes para agradecer a participação e lembrar que a irmã, pela coragem com que viveu os cinco anos de sofrimento, tinha sido uma grande mulher. e para ela pediu uma salva de palmas. considerei o gesto (e penso que todos os presentes) um forte apelo à vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário