2013-11-17

a nossa sede de justiça



Na maior parte das vezes, os nossos desejos de justiça, não são mais do que projecções do nosso ego que quer sentir-se gratificado.

Todo o acto bom ou mau, já comporta em si mesmo o prémio ou o castigo. «E Deus viu que tudo era bom». Porque para Deus, que é Amor e Justiça, tudo está em equílibrio a cada momento.

Sem comentários:

Enviar um comentário