2014-04-01




PENSAMENTOS TIDOS NUM SÓTÃO (excerto)

1
E eu disse-me a mim mesma,
naquele dia casual:
Sim,
em cada livro
ou em cada folha que encheres
assinala a tua mudança!
Não é o fato das pintinhas,
com que te vêem
e já te viram,
o que melhor te veste...
Nem o teu gesto irritado,
nem tão-pouco o abatido
que mais te individualizam.
Vai! Vai seguindo,
indiferente e fiel,
pelo fino traço do teu capricho,
um traço solto,
mas severo e sincero...


E assim,
depois das mais breves
e das mais resumidas frases,
do teu laconismo mais acre,
alaga-te em palavras.
Abre-te em palavras!
Que as palavras às bagoadas
te serenem e reconfortem.

Embora não valham nada!
Palavras!
Matilha desordenada e feliz,
lançada atrás de uma pista,
excitante e enganosa...



Irene Lisboa
Folhas Soltas da Seara Nova (1929-1955)

# imagem - Frank Hohenberger

4 comentários:

  1. palavras da "dona da minha rua"...

    gostei da imagem (há muito bom gosto no teu jardim, onde de vez em vez "roubo" uma flor...

    abraço Maria

    ResponderEliminar
  2. Luís,

    "dona da minha rua", que lindo!!! :)

    são cá plantadas para os amigos. ;)

    Abraço, Luís.

    ResponderEliminar