2015-03-08

de que têm medo, afinal?

4 comentários:

  1. às vezes questiono-me, como é que numa sociedade do conhecimento como a dos nossos dias, ainda há mulheres católicas.

    Já sei, algumas ainda acreditam que vieram ao mundo para sofrer.

    Mas depois percebo, terão de estar lá dentro para conseguir a mudança.

    Abraço Maria

    ResponderEliminar
  2. O Chico disse que “Um mundo onde as mulheres são marginalizadas é um mundo estéril”. Portanto, os mundos do sacerdócio, do bispado, do cardinalado e do papado são estéreis, apesar de os gajos não serem capados. De quem serão os filhos?
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      já este papa também não consegue ir além do estabelecido, neste particular.

      Beijos

      Eliminar
  3. Luís,

    quando iniciei este blog dizia que tinha que "estar lá dentro para conseguir a mudança."
    Dez anos passados, já não acredito nisso. Ou melhor, não quis continuar a pertencer a um grupo que só pelo facto de ser mulher era considerada um membro de segunda.

    Há várias castas na estrutura católica: os consagrados...e os outros.
    Os homens que podem receber a plenitude dos sacramentos e as mulheres que podem todos menos um.

    A minha ruptura não é apenas por isto que descrevo. Mas nem por isso tudo isto é um problema menor.

    Abraço Luís.

    ResponderEliminar