2015-05-02



DO DESTINO

P'ra calar a paixão fiz voto de silêncio
mas a língua queixosa falou revoltada.
elas partiram, disfarcei o meu amor,
água de tristeza mostrando balbúcios.
acompanhei-as até ao romper da alva,
já a noite perdera a razão de ser.
e atónito ali me deixei ficar:
a manhã roubara-me as estrelas.


-"Poeta do Destino"
- Al- Mu'tamid
- Organização e tradução: Adalberto Alves
#imagem - http://umpardebotas.blogs.sapo.pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário