2017-06-01


É inenarrável esperar a morte em Portugal. 

Há meia dúzia de meses que acompanho a luta da C. para resistir à morte que, entre internamentos e convalescenças em casa, não para de a rondar, como na segunda feira dizia, sem  já conseguir reconhecer-me.

A C. é a prova provada de que não é o doente, e sobretudo o doente idoso, que está no cerne das decisões, das políticas de saúde em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário