2018-05-16

dizem



Dizem
que depois dos 30 as mulheres envelhecem depressa
mal humoradas
padecem de males nunca antes pensados
não se resignam
e sofrem ao comparar-se com as rosas murchas
pétalas caídas, a beleza a finar-se,
ou então resignam-se
e viram os espelhos
preferem serões na meia-luz
fogem das vidraças
até dos charcos de água
quando há lua cheia.
Dizem que
depois dos 30 as mulheres
aprendem a fazer amor
e a sua ansiedade espanta
ávidas de orgasmos
ninfomaníacas
são substitutas em camas alheias
mulheres fáceis
ou então começam a secar
enojadas e receosas
dos seus desejos (ávidos, urgentes)
têm falta de homem diz-se.
Putas ou reprimidas
vem a dar no mesmo. É o que se diz.



Giovana Pollarolo (Peru, n. 1952), tradução de Soledade Santos
daqui

2 comentários:

  1. Um murro no estômago, este poema. Obrigada por partilhar, descubro sempre poesia tão, tão boa no seu blogue.

    ResponderEliminar
  2. "um murro no estômago"...é mesmo isso. descobri há pouco este poema, mas depois de o publicar comecei a experimentar a sensação de o conhecer há muito tempo.

    Obrigada eu pela visita.

    ResponderEliminar