2018-05-31


Hoje o exército invadiu o parque. Nem só o exército - enquanto o atravessei encontrei mais carros do que bancos onde me sentar.
Mas voltando ao exército, a acção envolveu carros, carrinhas, carros pesados, palanques, cadeiras e uma unidade móvel estacionada junto ao lago, com material publicitário e a mensagem: INSCREVE-TE! Olhando à volta, viam-se a caminhar placidamente, jovens pais com as suas crianças, alguns septuagenários e na relva espalhavam-se uns quantos jovens, com ar de quem estava tão interessado na carreira militar quanto eu, a sentir-me estrangeira e a leste daquilo tudo.
Vou tendo notícias de que o parque, depois que passou a ser gerido pela Câmara Municipal, começou a ser palco para tudo: feiras, "festival do cavalo", actividades que deslocam milhares de pessoas para um local que foi criado como jardim, com árvores, ruas de saibro e um museu que fica abafado, no meio do frenesim de uma cidade que em termos culturais não sabe ser nem estar.

Sem comentários:

Enviar um comentário