2018-12-15

contem-me histórias



- Que bela saca de serapilheira!, disse-lhe, imaginando que seria sua.
- É a minha gabardine, respondeu com um sorriso malandro. E começou a desfiar uma breve história de vida, esticando o braço a mostrar a pequena casa onde nasceu, o irmão gémeo que tinha morrido há três meses. A entrada e saída na tropa em Mafra, os dois no mesmo dia. Tudo envolvido no mesmo sorriso contagiante, como se oitenta e sete anos de vida fossem um pequeno voo de melro, que agora partilhava ao sol de Outono com uma desconhecida.

Sem comentários:

Enviar um comentário